Acesso à informação

Serviços  

   

Artigos e Publicações  

   

Artigos

Suporte forrageiro: prática eficiente de convivência com a seca no Semiárido

Detalhes

No assentamento Lagoa D’outra Banda, São José do Egito - PE, em uma parcela de terra de 24 hectares, a família de Damião Tomaz de Almeida e Cristiane Santos Soares e seus quatro filhos tem conseguido superar as intempéries e os efeitos da longa estiagem graças ao apoio do Projeto Dom Helder Camara / MDA/FIDA e assessoria técnica da Casa da Mulher do Nordeste. Em 2007, as duas instituições iniciaram na região um projeto de produção e conservação de forragens, com objetivo de adensamento de gramíneas e melhoramento do suporte forrageiro dos agricultores familiares. 

 

Damião cultiva 1,0 hectare de palma forrageira resistente a cochonilha de carmin, um pouco de capim elefante e sorgo irrigado com a escassa água do poço amazonas, complementando mensalmente com um saco de torta e um de farelo de trigo. Essa forragem foi suficiente para alimentar um rebanho de 11 bovinos e 30 ovelhas durante o período de seca até o início das poucas chuvas que caíram em março deste ano. Graças a esse suporte forrageiro, durante a estiagem não faltou o leite para o consumo da família e as vacas ainda reproduziram crias. Atualmente, os animais encontram-se bastante nutridos, e o rebanho foi ampliado para 17 cabeças de gado. A venda de pequenos animais compõe a maior parte da renda que atende às necessidades básicas de alimentação, vestuário, educação e saúde da família do agricultor.

 

O Crédito Estiagem lançado pelo Governo Federal e operacionalizado pelo Banco do Nordeste para minimizar os efeitos da seca está sendo acessado pela família de Damião Tomaz, que financiou R$ 12.000,00 em infraestrutura produtiva e ração animal. “Já reformei um pequeno açude, um poço amazonas, vou reformar 1.500 metros de cerca para criação dos caprinos e das ovelhas, vou adquirir uma forrageira, preparar uma área para cultivar capim elefante, cana forrageira e sorgo, quero para o próximo ano produzir umas 5 toneladas de silagem para garantir o meu criatório”, afirma Damião, sobre a aplicação do crédito e a liberação da primeira parcela. A esposa do agricultor, Cristiane Soares, irá acessar o Crédito Apoio Mulher, recursos oriundos do INCRA/ MDA, com o objetivo de melhorar seu sistema de criação de caprinos e ovinos.

 

O Crédito Estiagem está melhorando a situação de centenas de agricultores familiares e assentados no território do Pajeú, que utilizam os recursos para manter parte do rebanho que sobreviveu a longa estiagem e construir infraestrutura produtiva visando à recuperação do rebanho e das culturas dizimadas com a seca.

 

   

Galeria de Imagens  

   
   
© Projeto Dom Helder Camara